Em queda, dólar turismo varia de R$ 3,47 a R$ 3,61

RIO — Nesta quarta-feira, quando o dólar comercial atingiu o menor patamar em quase em ano, a moeda americana fechou o pregão cotada a R$ 3,37. Desde 29 de julho de 2015, quando era vendida a R$ 3,33, o país não via tamanha valorização do real frente à divisa estrangeira. Desta vez, segundo especialistas, favoreceram a divisa brasileira a confirmação de Ilan Goldfajn à frente do Banco Central brasileiro e a queda menor das importações na China, um bom sinal para moedas ligadas às commodities, como o real. Na esteira, o dólar turismo também caiu: nas agências consultados pelo GLOBO, a moeda americana variou de R$ 3,47 a R$ 3,61, com IOF incluso.

Próximo às 17h, quem vendia o dólar mais barato era a casa de câmbio Western Union. Com o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 1,1%, a venda saía a R$ 3,47 e a compra, a R$ 3,15, no dinheiro em espécie. Já no cartão pré-pago, no entanto, o dólar custava R$ 3,69, já com IOF de 6,38%. Segundo a agência, não houve alteração substancial na procura por dólares nos últimos dias. O euro, por sua vez, era vendido a R$ 4,09 (espécie) e R$ 4,25 (cartão).

Já a DG enxergou “um aumento significativo” na procura pelo dólar turismo. De acordo com a casa de câmbio, não se via movimento igual há cerca de dois meses. Lá, era possível trocar a moeda americana por R$ 3,53 (IOF incluso), por meio de transferência bancária ou dinheiro em espécie. No cartão, a divisa saía a R$ 3,74, já com imposto. O euro na agência era cotado a R$ 4,04 no papel moeda e a R$ 4,28 no plástico.

Entre os pontos de câmbio pesquisados, o Itaú foi onde a moeda americana era negociada pelo valor mais alto. O banco fixa a cotação de acordo com a quantia que o consumidor quer trocar. Para vendas até R$ 1 mil, o dólar (papel-moeda) estava R$ 3,61. A partir R$ 2 mil, estava R$ 3,60.

Havia ainda uma diferença de preço para os clientes Itaú Personalité: conseguiam cotação a R$ 3,60, para valores até R$ 1 mil, e a R$ 3,58 se desembolsassem até R$ 2 mil. Nas compras de R$ 2 mil a R$ 3 mil em dólar, a cotação saía a R$ 3,57. Acima deste valor de troca, a moeda americana era trocada a R$ 3,56 — operação rara, de acordo com a agência. O IOF de 1,11% , já calculado nos valores acima, é cobrado no caixa.

(*Estagiária sob supervisão de Lucas Moretzsohn)

ver mais notícias