Em alguns países, os ‘millennials’ vão trabalhar até a morte

NOVA YORK – Enquanto no Brasil a reforma da Previdência estuda mudanças nas regras — como a definição de uma idade mínima para a pessoa poder se aposentar — um estudo divulgado na terça-feira mostrou que muitos jovens entre 20 e 34 anos esperam trabalhar até morrer. A pesquisa ouviu 19 mil millennials (a geração que nasceu a partir de meados da década de 1980) que estão trabalhando, em 25 países. E o Brasil é o 12º da lista de 18 nações em termos de porcentagem de jovens que acreditam que não conseguirão se aposentar.

O Japão é o país em que a maior porcentagem de entrevistados não esperam se aposentar. São 37%, pouco mais de duas vezes o índice no segundo colocado, a China (18%). Em terceiro aparece a Grécia, com 15%. Já o Brasil ocupa a 12ª colocação: aqui, 10% dos jovens acreditando que vão trabalhar sem conseguir se aposentar. Na média geral, 12% dos entrevistados acreditam que vão trabalhar até a morte.

A pesquisa também mostrou que o otimismo dos millennials brasileiros com as perspectivas de suas carreiras está relativamente em alta. No país, de 60% a 69% destes jovens estão otimistas ou confiantes com o futuro.

Os jovens brasileiros grupo trabalha, em média, 45 horas semanais — assim como acontece com membros dessa geração nos EUA e na Noruega. O país com maior jornada semanal é a Índia, com 52 horas. Na “lanterna” estão as 41 horas por semana trabalhadas no Reino Unido e na Austrália.

ver mais notícias