Eletrobras vai recorrer para voltar a ter ações negociadas na Bolsa de NY

RIO – O novo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, informou nesta quarta-feira que a Eletrobras vai recorrer amanhã, nos Estados Unidos, para conseguir que suas ações voltem a ser negociadas na Bolsa de Nova York.

— Amanhã as ações estão suspensas (em NY) e a gente vai entrar com recurso para poder retomar — disse o ministro que está participando da abertura do Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase), no Rio.

Vence hoje o prazo para a eletrobras entregar na SEC nos Estados Unidos os formulários referentes aos balanços da companhia de 2014 e 2015. Só que a companhia não conseguiu ter os dados aprovados pela empresa de consultoria KPMG por estar ainda com as investigações internas sobre casos de corrupção, ainda não concluídas.

Com isso automaticamente as ações da companhia são suspensas de negociação na bolsa de NY.A Eletrbras já admitiu ontem que não iria conseguir entregar seu formulários 20-F relativos aos anos de 2014 e 2015 até o prazo previsto que termina nesta quarta-feira, dia 18, nos Estados Unidos. Segundo fato relevante da companhia, as investigações internas conduzidas pelo escritório Hogan Lovells “ainda não estão substancialmente completas.”Com isso a empresa corre o risco de ter suas ações (ADRs) serem suspensas de negociação na Bolsa de Nova York.

Mas a Eletrobras garantiu que a suspensão ou a deslistagem de suas ações na bolsa de Nova Yok não implica na antecipação de vencimento de dívidas.Segundo a empresa, todos os covenants (cláusulas restritivas de dívidas) estão relacionadas as demonstrações financeiras nacionais no Brasil.

O documento 20F é exigido anualmente pelo órgão regulador do mercado de capitais americano a SEC(Securities and Exchange Commission) a todas as companhias estrangeiras com ações negociadas nas bolsas de valores nos EUA. O relatório apresenta resultados financeiros e operacionais das empresas, além dos investimentos.De acordo com a estatal, não há chance de nova extensão de prazo pela Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), que deve suspender a autorização para negociação dos American Deposit Shares (ADS) da companhia, enquanto corre o processo de deslistagem das ações.

Se acontecer a deslistagem, a Eletrobras disse que pretende apresentar recursos. Os donos de ADS poderão pedir o cancelamento de papéis ou a migração para ações na BM&FBovespa.

A estatal afirmou que continuará trabalhando para finalizar os formulários 20-F. A Eletrobras não consegiu entregar esses documentos porque as investigações interas a respeito de irregularidades denunciadas pela Operação Lava-Jato ainda não foram concluídas. E por conta de os dados não serem conclusivos ainda sobre o impacto da corrupção nos resultados da companhia, a KPMG , a empresa de auditoria, não deu o seu aval.

ver mais notícias