Dólar segue exterior e avança mais de 1%, a R$ 3,629

SÃO PAULO – O dólar comercial segue o movimento da divisa no exterior e opera em alta, colocando em segundo plano as repercussões em relação as manifestações contra o governo ocorridas no final de semana. Às 10h25, a moeda americana era negociada a R$ 3,627 na compra e a R$ 3,629 na venda, valorização de 1,08% ante o real. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuava 0,36%, aos 49.458 pontos.

No exterior, o “dollar index”, calculado pela Bloomberg e que mede a variação da divisa americana frente a uma cesta de dez moedas, registrava alta de 0,21%.

Apesar dessa valorização, os agentes do mercado financeiro continuam atentos aos desdobramentos da crise política. Nesta semana, o Congresso Nacional pode dar continuidade ao rito de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. “É possível prever a reação dos agentes econômicos para os próximos dias ante a magnitude dos movimentos, que deverá ensejar a manutenção do viés de queda do dólar e acentuar os ganhos no mercado acionário”, avaliou, em relatório a clientes, Ricardo Gomes da Silva, superintendente da Correparti Corretora de Câmbio.

O mercado financeiro tem se mostrado crítico à política econômica atual e reage positivamente a notícias desfavoráveis ao governo da presidente Dilma Rousseff.

PETROBRAS RECUA

Na Bolsa, contribui para a queda do índice Ibovespa o desempenho das ações da Petrobras. As preferenciais (PNs, sem direito a voto) são negociadas a R$ 7,85, queda de 2,96%, e as ordinárias (ONs, com direito a voto) recuam 2,67%, a R$ 9,82. No mercado internacional de petróleo, o barril do tipo Brent cai 2,60%, a US$ 39,34.

Os papéis da Vale também registram queda. Os PNs caem 1,37% e os ONs registram recuo de 1%.

No mercado acionário externo, o DAX, de Frankfurt, sobe 1,32% e o CAC 40, da Bolsa de Paris, registra alta de 0,35%. Já o FTSE 100, de Londres, tem valorização de 0,27%.

ver mais notícias