Criar impostos não é a primeira opção do governo, diz ministro Jucá

RIO – O ministro do Planejamento, Romero Jucá, afirmou que a criação de impostos não é a primeira opção do novo governo para combater a crise econômica, e que a prioridade inicial é o corte de gastos.

– Criar impostos não é a primeira opção do governo. Antes de pensar em criar impostos, o governo precisa fazer a lição de casa, que é cortar gastos. Animar a economia, ajustar a legislação, recuperar a segurança jurídica, a credibilidade e ter condição de dar previsibilidade aos setores econômicos para que possam fazer os seus investimentos – disse antes da abertura do Fórum Nacional, que ocorre na sede do BNDES no Rio, desta terça até quinta-feira.

Ele não descartou, no entanto, que a medida seja discutida mais para frente:

– A discussão de alguma transição com algum tipo de imposto poderá ser necessária e será dita num momento apropriado pelo coordenador da equipe econômica, Henrique Meirelles. A questão é ser compatível com a realidade, com a expectativa e com alguma forma de melhorar a economia.Jucá ressaltou, ainda, que a criação de impostos não cabe à sua pasta. E reafirmou, conforme anunciado ontem, que o governo pretende cortar ao menos 4 mil cargos comissionados até 31 de dezembro deste ano.

Jucá disse que vai reunir-se hoje com nova presidente do BNDES, anunciada ontem pela assessoria do presidente interino Michel Temer, Maria Silvia Bastos, para tratar da transição do cargo, que até então era ocupado por Luciano Coutinho.

ver mais notícias