CMN mantém taxa de juros de longo prazo em 7,5%

BRASÍLIA – O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu, em reunião nessa quinta-feira, manter em 7,5% a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), usada como referência em empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com a manutenção, a equipe econômica interrompe um processo de alta que havia se iniciado no início de 2015, quando a taxa era de 5,5%. De lá para cá, a TJLP passou por cinco aumentos consecutivos.

A manutenção ocorre em um momento em que o governo pretende estimular o crédito para fomentar o crescimento. O secretário de política econômica do Ministério da Fazenda, Manoel Pires, explica que os dois fatores considerados pelo CMN para definir a TJLP, meta de inflação e o risco do país, sofreram poucas alterações, o que justifica a mudança. Além disso, ressalta, a perspectiva para a taxa básica de juros (Selic) é de estabilização até o fim do ano.

— Em função da meta de inflação ser a mesma e o risco ter se mantido no mesmo nível, o conselho decidiu manter a TJLP. Não tem variação nos fundamentos macroeconômicos que justifiquem a variação da taxa — afirmou.

Os aumentos sucessivos na taxa Selic que ocorreram desde o começo do ano passado tinham o objetivo de diminuir o descasamento entre a Selic, hoje em 14,25%, e a taxa dos empréstimos concedidos pelo BNDES e, dessa forma, diminuir os custos do Tesouro Nacional com subsídios ao banco de fomento.

O conselho também aprovou a ampliação, em R$ 1 bilhão, dos limites para contratação de financiamento para obras de infraestrutura associados à realização dos Jogos Olímpicos. Dessa forma, o máximo a ser liberado agora para esse tipo de empreendimento é de R$ 4,6 bilhões.

ver mais notícias