Cade recomenda aprovação da aquisição do HSBC pelo Bradesco

BRASÍLIA – A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Desefa Econômica (Cade) deu sinal verde para a operação de aquisição do HSBC pelo Bradesco. A aprovação, contudo, fica condicionada a celebração de um acordo em controle de concentrações (ACC) que inclui melhorias nos indicadores de portabilidade de conta salário, operações de crédito e qualidade. Cabe ao Tribunal do Cade acatar ou não o parecer da Superintendência.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira. Em nota, o Cade explica que analisou diferentes cenários de serviços ofertados pelos bancos, como depósito à vista e a prazo, crédito ao consumidor e cartão de crédito e identificou que a participação de mercado do HSBC é reduzida, “o que limita a relação entre a aquisição e a possibilidade de aumento de poder de mercado do Bradesco”.

“Em uma análise mais ampla, constatou-se que o Bradesco é o quarto maior banco do país em ativos totais, enquanto o HSBC é o sexto. Com a aquisição, o Bradesco permanece na mesma posição, com menos de 20% de mercado, atrás do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Itaú, que permanecem como rivais em todos os mercados analisados”, diz a nota.

O acordo em controle de concentrações foi sugerido para sanar alguns problemas identificados no setor, como baixa portabilidade e elevados índices de reclamação que são verificados no Bradesco. Dessa forma, com o ACC, o Cade acredita que irá evitar a possibilidade dos clientes do HSBC de serem prejudicados com a operação e beneficiará os consumidores do Bradesco. O não cumprimento das condições do acordo resultaria em aplicação de multa pelo órgão.

ver mais notícias