Bolsa cai 1,9% com Vale, Petrobras e bancos; dólar vale R$ 3,54

RIO – O fortalecimento do dólar em escala global reduziu os ganhos das commodities desta quinta-feira, promovendo uma virada no mercado financeiro na início da tarde. O dólar comercial apagou as perdas frente ao real e agora opera estável, a R$ 3,540. Pelo segundo dia, o Banco Central (BC) não promoveu nenhum leilão de compra de dólares hoje. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que abriu em alta, agora recua 1,91%, aos 51.546 pontos.

— Estamos vendo um fortalecimento do dólar pelo mundo, o que esfriou a alta das commodities. Isso tirou força do real e de ações como a da Petrobras. Aqui, há também uma certa cautela depois do afastamento do Eduardo Cunha porque não se pode negar que se trata de uma pessoa intimamente ligada ao processo de impeachment — afirmou Luis Gustavo Pereira, da Guide Investimentos.

O índice Dollar Spot, que mede a força da divisa contra uma cesta de dez moedas, agora sobe 0,37%, depois de começar o dia em patamar estável. Segundo analistas, a divisa sobe em expectativa com relação aos dados sobre o emprego americano, que serão divulgados amanhã.

O barril do petróleo do tipo Brent, que chegou a subir mais de 4%, agora avança 0,83%, a US$ 44,98. A valorização do produto ocorreu após a divulgação de números que mostraram a maior queda semanal em oito meses da produção da commodity nos EUA e após o Irã afirmar que pretende acompanhar outros países produtores no esforço para congelar a produção assim que recuperar a fatia do mercado que detinha antes do embargo.

Historicamente, a valorização do preço do petróleo tende a depreciar o dólar e vice-versa. Já as moedas de países produtores da commodity costumam ganhar força acompanhando a alta do petróleo. Hoje, as divisas que mais ganham sobre o dólar são a lira turca, o rublo russo e os pesos colombiano e mexicano.

No cenário político, a principal notícia do dia é o afastamento do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por determinação do ministro Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). Embora Luis Gustavo Pereira, da Guide, acredite que a notícia gera cautela, há analistas que veem pouco efeito no mercado.

— O mercado não reagiu muito a isso, interpretando muito provavelmente que se trata de um evento neutro para os negócios — disse João Pedro Brugger, da Leme Investimento.

Entre as ações, a Petrobras inverteu a tendência com a desaceleração do petróleo. A ação ON agora cai 3,16%, a R$ 12,55, enquanto a PN recua 1,81% (R$ 9,74).

A Vale volta a despencar hoje, depois do tombo de mais 6% ontem, ainda por causa do pedido de reparação de R$ 155 bilhões sugerido pelo Ministério Público Federal à Samarco e suas controladoras (a mineradora brasileira e a anglo-australiana BHP Billinton). Os papéis ON caem hoje 6,03% (R$ 16,33), e a PNA, 5,27% (R$ 13,09).

Entre os bancos, o Banco do Brasil cai 2,62% (R$ 20,32), enquanto o Bradesco recua 3,12% (R$ 25,09). O Itaú Unibanco PN cai 2,78% (R$ 29,99).

Fora do Ibovespa, as ações da companhia aérea Gol despencam 10,15% (R4 2,92) após terem saltado 28,45% na véspera com os investidores repercutindo de forma positiva o plano de reestruturação da dívida da companhia aérea.

ver mais notícias