BC registra rombo de US$ 1,9 bilhão nas contas externas de fevereiro

BRASÍLIA – A alta do dólar e a recessão econômica provocaram uma redução do rombo das contas externas brasileira. O déficit de todas as trocas de serviços e do comércio do país com o resto do mundo ficou em US$ 1,9 bilhão em fevereiro. É o melhor desempenho desde agosto de 2009 porque a alta da moeda americana estimula as exportações e inibe as importações no exterior e a crise faz com que os gastos lá fora diminuam. Por isso, o Banco Central já reduziu, nesta quarta-feira, a previsão do déficit das contas externas neste ano de US$ 41 bilhões e US$ 25 bilhões. Se confirmado, será o menor desde 2007.

É uma melhora bem mais rápida do que a esperada pelos técnicos da autarquia. Em 2014, o rombo das contas externas foi recorde: US$ 104 bilhões. No ano passado, ficou em US$ 58,9 bilhões.

A queda do déficit é tão expressiva que o número total esperado para este ano está próximo do que foi apurado no primeiro bimestre do ano passado: US$ 19,3 bilhões. Nos dois primeiros meses deste ano, o resultado das transações correntes é negativo em apenas US$ 6,7 bilhões.

Para melhorar o cenário, os investimentos estrangeiros não apenas superam o déficit, mas ainda estão maiores. Em fevereiro, o Brasil recebeu US$ 5,9 bilhões: 90% a mais do que no mesmo mês do ano passado.

ver mais notícias