Barbosa: Calendário orçamentário deve ser cumprido apesar da crise política

BRASÍLIA – Dois dias antes de a Câmara dos Deputados votar o impeachment da presidente Dilma Rousseff, os ministros da Fazenda, Nelson Barbosa, e do Planejamento, Valdir Simão, apresentaram os planos do governo para o Orçamento de 2017. Ao divulgar o projeto de lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para o ano que vem, eles ressaltaram que existe um calendário orçamentário que precisa ser cumprido apesar da situação política do Brasil. Questionado sobre a celeridade da análise do projeto, Barbosa enfatizou que o Congresso Nacional “é capaz de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo”.

— O PLDO tem que ser entregue até o dia 15. Independentemente da situação política, tem que se cumprir o calendário orçamentário. O governo segue seu ritmo e o Congresso também. O Congresso é capaz de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo — disse o ministro da Fazenda.

— É nossa obrigação apresentar essa proposta que foi protocolada hoje com as diretrizes orçamentárias. Este é um instrumento fundamental para que o país supere as dificuldades atuais. Certamente será possível, num futuro próximo, superar essas dificuldades e retomar a trajetória de crescimento necessário — completou Simão, do Planejamento.

Barbosa voltou a defender a presidente e disse que não acredita que há crime de responsabilidade fiscal para que ela seja deposta do poder, mas preferiu não comentar sobre o futuro no governo após a votação do impeachment.

— Prefiro me manifestar após o resultado, não vou me manifestar sobre decisões que ainda não ocorreram. Não acho adequado.

ver mais notícias