Acionistas do Burger King rejeitam proposta para ter mulheres no conselho

CHICAGO – Acionistas do Restaurant Brands International, dona de redes como Burger King e Tim Hortons, rejeitaram uma proposta que exigiria um plano claro para incluir mulheres ao conselho da empresa, atualmente ocupado apenas por homens. A moção, encabeçada pela OceanRock Investiments, foi derrotada na reunião anual realizada nesta quinta-feira, de acordo com a agência de notícias Canadian Press.

A acionista começou a investir na companhia quando o Burker King comprou a rede de cafeterias Tim Hortons, em 2014, por US$ 11 bilhões. A empresa conjunta tem sede no Canadá.

Antes da fusão, a Tim Hortons tinha três diretoras. Ter um quadro conselheiro composto apenas por homens contrasta com a promessa do primeiro-ministro canadense Justin Trudeau de garantir que metade seu gabinete fosse composto por mulheres. A Restaurant Brands já afirmou que, apesar de ter alterado as diretrizes para tornar as considerações sobre diversidade mais aparente, uma mudança específica sobre incluir mulheres pode dificultar a flexibilidade de escolher os melhores candidatos.

Moções de acionistas sobre diversidade dificilmente são aceitas. Entre todas as propostas feitas no Canadá desde 2014, a que mais recebeu apoio obteve apenas 12,6% de votos entre os investidores, segundo dados da ISS Corporate Solutions.

ver mais notícias