Presos na 27ª fase da Operação Lava-Jato chegam a Curitiba

CURITIBA — O ex-secretário geral do PT Sílvio Pereira e o dono do jornal Diário do Grande ABC, Ronan Maria Pinto, presos na manhã desta sexta-feira na 27ª fase da Operação Lava-Jato, chegaram a Curitiba na tarde desta sexta-feira. Os dois tiveram prisão temporária decretada pelo juiz Sérgio Moro.

Sílvio Pereira e Ronan Maria Pinto fazem, neste momento, exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) na capital paranaense.

Foto: Silvio Maria Pinto e Ronan Maria Pinto, respectivamente.

Segundo o procurador Diogo Castor de Mattos, Ronan Maria Pinto foi o beneficiário final de metade do empréstimo de R$ 12 milhões retirado para o PT, em nome do pecuarista José Carlos Bumlai, no Banco Schahin, quitado fraudulentamente depois que uma das empresas do Grupo Schahin fechou contrato de US$ 1,6 bilhão com a Petrobras para a sonda Vitória 10000, em 2007.

Sílvio Pereira é suspeito de ter arquitetado o empréstimo para entregar o dinheiro ao empresário do ABC paulista. De acordo com o procurador, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares participou da reunião no banco Schahin em que foi fechado o empréstimo. Delúbio foi alvo de condução coercitiva nesta sexta-feira.

Sílvinho, como é conhecido o ex-secretário do PT, era próximo ao ministro José Dirceu, também preso na Lava-Jato. Segundo o procurador, há suspeitas de que ele tenha sido beneficiado com dinheiro de corrupção da Petrobras. Depois do escândalo do Mensalão, ele teria recebido um “cala boca” para sair de cena e se manter calado. Foi Marcos Valério quem acusou Silvinho de ter arquitetado a operação de repasse do dinheiro a Ronan.

ver mais notícias