CM7

     
 
 
Manaus, 19 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Política / Governador David Almeida anuncia economia de R$ 315 milhões na saúde, educação e aluguel de aeronaves

Governador David Almeida anuncia economia de R$ 315 milhões na saúde, educação e aluguel de aeronaves

Da redação | 14/06/2017 20:46

O governador David Almeida anunciou, durante coletiva realizada na tarde quarta-feira, 14,que vai repactuar os contratos no governo com o objetivo de economizar recursos para investir em ações prioritárias para a população. As mudanças devem economizar somente em contratos nas áreas da saúde, educação e de aeronaves, aproximadamente R$ 315 milhões.

 Ao lado de deputados estaduais e secretários, o governador explicou que na saúde pretende economizar R$ 202 milhões. Na educação, mais de R$ 101 milhões e outros R$ 12 milhões em aluguel de aeronaves. “Precisamos economizar esses valores para que possamos chegar ao final do ano tranquilos, com nossos compromissos realizados”, disse David Almeida.

Na saúde, serão revistos todos os contratos de prestação de serviço e os pagamentos que forem feitos serão divulgados no Portal da Transparência do Governo para que todos possam acompanhar. De acordo com o secretário Estadual de Saúde, Vander Alves, os fornecedores estão sendo chamados para negociar. “A ideia não é reduzir serviços, pelo contrário, queremos otimizar custos e potencializar os recursos para poder investir naquilo que é prioridade, nas necessidades da população nesse momento, para equipar melhor as unidades, para não haver descontinuidade”, disse o secretário, ao dar como exemplo o aumento na oferta de exames, consultas e cirurgias anunciados pelo governador na implantação do programa Fila Zero.

Em três meses, o governo pretende zerar a fila de espera que já chegou a ter 137 mil pessoas aguardando e atualmente, está em 92,2 mil, uma redução de 33% desde que o programa foi lançado, no dia 17 de maio. Outro exemplo, é a compra de medicamentos para abastecer as unidades de Saúde. “Vamos fazer essa otimização dos recursos, com o objetivo de agilizar a assistência. Não é pra frear nada na saúde e sim para agilizar as ações que nós anunciamos no Plano Emergencial da Saúde”, concluiu o secretário.

 

A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) vai reduzir os valores de todos os seus contratos de custeio na faixa de 5% a 10%. Essa redução vai gerar uma economia de R$ 101 milhões aos cofres do Estado. O secretário, professor Arone Bentes, garante que as renegociações de contratos não vão comprometer o trabalho da secretaria. “Isso não é corte de investimento, é renegociação de valores de contratos, uma prática correta nesse momento de crise que o país vive. Temos responsabilidade com a sociedade e o compromisso de manter a qualidade da educação”, ressaltou o secretário.

 

Para tranquilizar a população e a comunidade escolar, a Seduc informa que estão fora dessa renegociação os contratos da merenda escolar, limpeza e conservação das escolas, obras, pessoal e transporte escolar. A Seduc garante que o serviços nas escolas não será comprometido com a renegociação de valores.

 

Custeio – Os contratos de custeio contemplam serviços como, por exemplo, material de expediente, locação de veículos, passagens e hospedagem entre outras atividades. Os fornecedores e prestadores desses segmentos serão convocados para renegociar a redução nos valores dos contratos. “Nosso objetivo é realizar essas reduções nos valores o mais rápido possível”, garantiu o secretário de Educação.

 

Outra informação ressaltada pelo secretário é que essa redução de 5% a 10% nos valores dos contratos não vai implicar em redução de quantitativo. Ou seja, o preço vai reduzir, mas a quantidade de produtos vai continuar a mesma.

 

“Fizemos um estudo detalhado e chegamos à conclusão que o valor pode ser reduzido sem perda na quantidade e vamos apresentar esses levantamentos aos fornecedores e prestadores de serviços”, explicou Arone Bentes.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA