Folha de São Paulo afirma,houve pagamento de propina na construção da Arena da Amazônia

Ao atualizar na noite desta quinta-feira, dia 11, em sua versão eletrônica, as informações sobre a decisão da Justiça Federal do Rio de Janeiro de mandar soltar o ex-presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, a Folha de S. Paulo revelou que houve pagamento de propina na construção da Arena da Amazônia, em Manaus.

A notícia também está publicada na versão impressa do jornal desta sexta-feira, dia 12.

Segundo o jornal, na delação premiada assinada com a Procuradoria-Geral da República, os ex-executivos da Andrade Gutierrez se comprometeram a revelar informações sobre os pedidos de doações para a campanha eleitoral de 2014 da presidente Dilma Rousseff (PT).

Essa delação, de acordo com a Folha, trata também de pagamento de propina nas obras de construção e reforma de estádios para a Copa do Mundo de 2014, como o Maracanã, no Rio de Janeiro, Mané Garrincha, em Brasília, Beira Rio, em Porto Alegre, e Arena da Amazônia, em Manaus.

É a primeira vez que o noticiário diz do que se trata a delação. Até então, havia apenas a citação da Arena da Amazônia no rol das investigações, mas não havia detalhe do que se tratava.

A obra foi projetada pelo ex-governador Eduardo Braga (PMDB) e concluída na gestão Omar Aziz (PSD), que inaugurou o estádio.

A última vez que a mídia nacional tratou sobre o assunto, no dia 31 de janeiro, revelava que a delação dos ex-executivos da Andrade Gutierrez iria atingir o ministro de Minas e Energia Eduardo Braga.

A informação foi divulgada pelo colunista Lauro Jardim. Na ocasião, o BNC ouviu Braga e ele respondeu:

“Não entendo porquê. Não fiz nenhum pagamento na arena. Minha participação foi na escolha do projeto e no contrato e ordem de serviço. Nunca tratei de mais nada com eles ou qualquer outro interessado”, disse o senador.

Publicação do Portal BNC

ver mais notícias