Eduardo Braga denuncia mais de 100 mortes de doentes renais em Manaus - Fila da morte!

O plano de reordenamento da saúde anunciado pelo Governo do Estado foi alvo de críticas dos senadores Eduardo Braga (PMDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB) na sessão plenária do Senado nesta tarde de quarta-feira, dia 29. Eles denunciaram que, de janeiro a abril, 150 pacientes renais morreram em Manaus.

O discurso de Vanessa na tribuna foi feito com base em denúncia da Associação dos Doentes Renais Crônicos do Amazonas (Arcam) ao Ministério Público Federal (MPF) e a parlamentares do estado. “Eles não têm acesso a procedimentos como hemodiálise, transplante ou mesmo medicamentos como exigem as doenças graves por quais essas pessoas estão passando”, disse ela.

Com base nas informações da associação, a rede pública do estado está sem médico para atender os pós-transplantados renais e nem para assinar as receitas médicas. Também não existe mais convênio com hospitais privados para esse atendimento.

“O hospital privado que fazia esse atendimento em Manaus deixou de fazê-lo devido ao atraso nos pagamentos por parte do estado, dívida essa que seria de algo em torno de 8 milhões de reais”, disse a senadora.

Segundo ela, relatos da Arcam revelam que existem 1.600 pacientes em hemodiálise em todo o Amazonas, a maioria absoluta em Manaus.

Em aparte ao discurso de Vanessa, o senador Eduardo Braga endossou as críticas e foi além, chamando de “criminosa” a ação do governo e fazendo um apelo ao MPF para que faça denúncia à Justiça.

Também criticou o gasto de R$ 330 milhões com publicidade no momento de crise. ( Matéria do BNC)

Confira a intervenção do senador no vídeo abaixo:

 

ver mais notícias