Alessandra Campêlo busca recursos federais para socorrer pacientes renais que estão morrendo por falta de atendimento

O Poder Legislativo Estadual deve se unir e fazer uma articulação nacional junto ao relator do Orçamento da União de 2017, senador Eduardo Braga (PMDB), para buscar recursos federais e minimizar a crise na saúde, especialmente a questão dos pacientes renais crônicos e transplantados, que passam por uma crise de atendimento sem precedentes no Estado – 78 pessoas já morreram só no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto no período de janeiro a março deste ano. A proposta é da deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB), que esteve em Brasília na última quarta-feira (15) e assegurou o apoio do senador às demandas da saúde no Estado.

Segundo Alessandra, o senador se colocou à disposição da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para que os deputados enviem propostas ao orçamento na área da saúde. O apoio surge num momento em que a Associação dos Pacientes Renais Crônicos do Amazonas (Arcam), o Sindicato dos Médicos do Estado do Amazonas (Simeam) e a sociedade se mobilizam contra o desmonte do sistema de saúde.

“Como relator do Orçamento, o senador acaba tendo o poder de definir o que é melhor e o que é prioridade, por isso solicitamos apoio especificamente na questão dos pacientes renais que não podem ficar sem atendimento. É preciso um investimento diferenciado nessa área”, disse Alessandra, que vai propor uma reunião entre o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias, e representantes da Associação dos Pacientes Renais para alinhamento das propostas para captação de recursos federais.

Entenda a questão

De acordo com a Arcam, entidade que reúne aproximadamente 1.600 associados no Estado, os problemas enfrentados pelos renais crônicos são a suspensão dos transplantes, a falta de consultas pós-transplantes e a ameaça de o Hospital Santa Júlia de fechar a clínica de hemodiálise. Além disso, faltam medicamentos e os hospitais e prontos-socorros implantaram uma espécie de “fila da morte” – o paciente conta com a sorte para ser atendido e, quando não ganha nessa “loteria da vida” acaba indo a óbito. 

O problema está se agravando, pois a Clínica Renal de Manaus enviou ofício à Susam informando que não tem interesse em renovar o contrato para assistência de 240 pacientes renais. O motivo é que o Governo não vem pagando em dia o contrato firmado com a clínica.

Matéria do Portal Fato Amazônico 

http://www.fatoamazonico.com/site/noticia/alessandra-campelo-busca-recursos-federais-para-socorrer-pacientes-renais-que-estao-morrendo-por-falta-de-atendimento/

ver mais notícias