CM7

     
 
 
Manaus, 18 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Polícia / Violência – Cabeleireiro encontrado morto dentro da casa onde morava no São Jorge

Violência – Cabeleireiro encontrado morto dentro da casa onde morava no São Jorge

Da redação | 13/08/2016 13:46
O cabeleireiro Amarildo Rodrigues da Silva, 49,   conhecido como ‘Rodrigo’ pela vizinhança, foi encontrado morto, na madrugada deste sábado (13), por agressão física, dentro da casa onde morava, onde também funcionava um salão de beleza, na Rua Brasil, bairro São Jorge, zona oeste de Manaus.

Um dos funcionários do salão do homem, um adolescente de 17 anos, foi quem encontrou o corpo. Segundo ele, o homem estava na parte térrea da casa próximo a uma escada. O garoto disse que passou em frente à casa do homem e achou estranho quando ouviu, por volta de 3 horas, o aparelho de som ligado. “O som tava nas alturas e a porta trancada por dentro. Chamei o Rodrigo e ninguém respondeu. Achei estranho, entrei e viu ele jogado enrolado em um lençol”, afirmou o adolescente.

122178_697x437_crop_57af49344f098
Devido a quantidade de sangue espalhada pelo salão de beleza, a suspeita do adolescente é que o homem tenha sido ferido no salão e arrastado pela escada que dá acesso à casa do homem na parte subterrânea do terreno.
O motorista Maurício Ferreira, 35, disse que o homem morava no bairro, há 20 anos, e era muito querido pelos amigos. Segundo Maurício, vizinhos afirmaram ter ouvido, por volta de 23 horas de sexta-feira (12), gritos de pedido de socorro que cessaram instantes depois.
Os vizinhos e amigos acreditam que, além de agredido fisicamente, o homem possa ter sido esfaqueado já que um cabo de faca de cozinha foi encontrado ao lado do corpo.
Apesar da suspeita, consta no Instituto Médico Legal (IML), para onde o corpo foi levado, que a causa da morte foi agressão física. Oficialmente, o corpo ainda permanece não identificado já que o instituto aguarda parentes do homem para reconhecer o cadáver. Conforme o IML, o homem é natural de Terezina, no Piauí, e não tem parentes no Amazonas. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Informações D24)
maxresdefault
Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA