"Sei que errei. Estou arrependido, mas matei mesmo” - Confessa assassino!

121190_697x437_crop_5792366e7cbe1“Eu nunca tinha sido preso. Sou pai de família, mas se ele me matasse, ia fugir e iria ficar por isso mesmo. Sei que errei. Estou arrependido, mas matei mesmo”, afirmou o auxiliar de logística Diogo Santos da Silva, 28, na manhã desta sexta-feira (22), ao justificar a morte de Sirley Ramos Alegrim, 30, com vários golpes de barra de ferro. O crime aconteceu ontem, na Avenida Grande Circular, bairro Amazonino Mendes, zona leste de Manaus.Diogo disse que, na manhã de quinta-feira, encontrou o suspeito com casaco dele, que tinha sido roubado pelo mesmo homem há dois dias. Segundo ele, Sirley passou fazendo provocações e mostrando um punhal. “Pedi ajuda da Polícia Militar, disse que tinha sido roubado e encontrado o ladrão. O policial demorou a me atender, fiquei com raiva, voltei no local, peguei a barra de ferro e matei”, disse o auxiliar de logística, que informou ter ido à Seccional Leste. “Eu não tinha a intenção de fugir, tanto que eu estava caminhando em direção à delegacia de Homicídios quando fui pego. Eu ia me entregar”.

De acordo com o delegado Ivo Martins, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o homem procurou a polícia, mas não esperou a ajuda da polícia. ‘ “Ele poderia ter procurados os nossos investigadores ou esperado a ação da polícia, mas não, foi lá e matou o cara”, disse.

Diogo foi autuado por homicídio e seguirá para Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro.

ver mais notícias