Metalúrgico é assassinado, após convite para um churrasco na casa de 'amigos' no Parque das Laranjeiras

Manaus – “‘Tô’ indo, amor”. Esta foi a última mensagem enviada pelo metalúrgico Eduardo do Amaral Silva, 32, para a namorada dele antes de ser assassinado com uma facada na costela, que atingiu o coração, na madrugada deste domingo (28), no bairro de Flores, zona centro-sul da capital. A namorada da vítima, a dona de casa Rosenilda Cerdeira da Silva, 41, disse que o metalúrgico saiu de casa com um amigo para ir em um churrasco.

Rosenilda disse que a suspeita é que o crime tenha sido cometido pelo “amigo” do metalúrgico, que ainda não foi identificado.

Segundo a dona de casa, Eduardo passou o dia trabalhando e chegou em casa por volta das 19h, mas foi convidado por um amigo para ir em um churrasco na Rua Barão do Açú, conjunto Parque das Laranjeiras, bairro de Flores.

Segundo ela, Eduardo mandou uma mensagem dizendo que tinha bebido duas cervejas, mas que já estaria voltando para casa. ” Não conhecemos esse amigo. Mas está muito estranho porque o Eduardo não tinha rixa com ninguém, e era muito tranquilo. Queremos saber o que aconteceu porque esse amigo dele sumiu e não teve nem consideração de avisar sobre a morte. Acordei na madrugada pela polícia me ligando”, disse.

De acordo com policiais da 12ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), o crime ocorreu na casa onde Eduardo estava. Os policiais contaram que o metalúrgico foi morto depois de uma confusão na residência, mas ninguém no local apontou o autor do crime.

Eduardo era natural de Juruti (Pará) e havia chegado na capital há cerca de um mês para montar a metalúrgica dele, segundo Rosenilda. “Inclusive ele já tinha comprado todo material e já começaria construir”, comentou.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investiga o crime.

ver mais notícias