Manaus registra seis mortes violentas em menos de 24h ( Imagens Fortes)

Conforme os registros das mortes, são 18 homicídios em 72 horas; 17 vítimas são homens e uma mulher. A maior parte delas morreu por arma de fogo, em diferentes zonas da cidade.

De acordo com o dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a média diária de homicídios dolosos entre 2014 e 2015 era de 2,7.

Na tarde de sexta, um casal, sem identificação, morreu baleado dentro de um comércio na Avenida Camapuã, no bairro Cidade Nova, Zona Norte. Eles teriam tentado assaltar o estabelecimento e foram alvejados por um suposto cliente.

 

Durante a noite, três casos foram registrados no bairro Novo Israel, também na Zona Norte. O primeiro caso ocorreu às 19h15, na Rua Oito de Abril. Um homem foi morto com vários tiros por ocupantes de um carro modelo Pálio, de cor prata. Em seguida, por volta das 19h25, um homem foi surpreendido pelo mesmo grupo quando estava limpando a fachada de uma residência. A vítima foi baleada e os criminosos fugiram. O terceiro assassinato ocorreu na rua Santo Antônio, às 20h. Segundo a Polícia Militar, os homens armados pararam em um carro prata e invadiram uma residência, onde a terceira vítima foi executada a tiros. O homem morreu no local e o grupo fugiu.

Na madrugada deste sábado (7), um homem não identificado por morto com uma facada no pescoço por um homem com quem tinha uma rixa. O autor foi preso e encaminhado ao 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Por volta das 6h, o corpo de homem – também sem identificação – foi encontrado em uma área de acesso a duas ruas do bairro Cidade Nova. Ele foi visto com vida na noite de sexta. Ele estava com o rosto desfigurado. A autoria e a motivação são desconhecidas.

Homicídio na cidade nova em frente ao Ozias Monteiro

Arrastão e boatos
O medo da violência fez comerciantes do Centro de Manaus fecharem lojas antes do fim do expediente, na tarde desta sexta-feira (6). Segundo o diretor-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas da capital (CDL-Manaus), Ralf Assayag, supostos assaltantes armados assustaram comerciantes e pessoas que passavam pelo Centro.

A Polícia Militar descartou a hipótese de arrastão e disse que as lojas foram fechadas após uma série de boatos. Segundo o comandante de policiamento metropolitano da capital Franclildes Ribeiro, uma série de boatos espalhados por um grupo no Centro causou o encerramento do expediente. “Alguns delinquentes corriam no meio da população e gritavam que era arrastão. Isso causou histeria”, afirmou.

Plano de segurança
Em meio à crise no sistema prisional do estado, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP) anunciou na sexta-feira (6) medidas de reforço à segurança em Manaus e nas unidades prisionais do estado Entre as ações previstas, estão o aumento do policiamento em todas as zonas da cidade e reforço nos armamentos.

O plano prevê o remanejamento dos policiais que atuam nos setores administrativos e o retorno de parte dos policiais cedidos para outros órgãos estão entre as ações que devem aumentar o policiamento em todas as zonas da cidade, com reforço de aproximadamente 300 policiais. As ações iniciaram, segundo o governo, na sexta-feira à noite.

PMs nas cadeias
Após a morte de 60 presos e a fuga de 184, o Governo do Estado anunciou que a Polícia Militar vai passar a fazer a segurança permanentemente dentro das penitenciárias, com revistas periódicas. Ao G1,o secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, que ação

“Vamos ter que fazer remanejamentos. O cobertor é curto. Quando a gente puxa de um lado, mostra do outro. Não tem outro jeito de fazer. Foi a decisão mais acertada? A resposta, na verdade, é que essa era a única decisão a ser tomada”, disse Fontes em coletiva, nesta terça.

Crime ocorreu Rua A, no bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
Crime ocorreu Rua A, no bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
ver mais notícias