Jovem desaparecida é encontrada 'concretada' em parede de casa abandonada

itambagora-2

A mãe de Jéssica Miranda Flores, jovem que foi encontrada morta e concretada em uma parede na cidade de Piracicaba, no interior de São Paulo, afirmou que a filha era usuária de drogas e já tinha feito alertas sobre o risco que ela sofria. Segundo Cleusa Rosa Miranda, de 58 anos, a filha tinha 22 anos e começou a fazer uso de drogas há cerca de um ano e estava lutando contra o vício.

“Eu tentei interná-la, mas ela não aceitava. Eu cheguei a dizer: Jéssica, para quem mexe com drogas só existem dois ‘Cs’: cadeia ou caixão”, relatou a empregada em entrevista ao G1. Ela contou ainda que a filha tinha o sonho de fazer faculdade de jornalismo.

Corpo de Jéssica foi encontrado escondido em uma construção na cidade (Foto: Reprodução)

A família procurou por Jéssica por durante quase um mês em toda a cidade antes de receber a informação de que o corpo encontrado concretado em uma parede de uma construção era o da jovem. Ela havia sido vista pela última vez no dia nove de setembro, em uma calçada próximo de casa. Jéssica chegou a prometer que voltaria logo. “Disseram que a viram chorando no carro de um cara que era amigo dela”, contou Cleusa. Ainda segundo a mãe, outras pessoas relataram que viram a menina saindo de um bar e entrando no carro de um cadeirante com mais dois homens.

No dia 23 de setembro, moradores do bairro Vila Cristina chamaram a polícia depois de terem encontrado um cadáver em uma parede. Conhecidos da família informaram para a mãe que o corpo poderia ser da garota. A informação foi confirmada depois de análise da arcada dentária. A polícia ainda investiga o caso e dois suspeitos do crime já foram ouvidos. Um dos homens chegou a procurar a empregada para negar participação no crime. Tenho medo, eu moro sozinha e tenho medo que a pessoa que matou minha filha faça algo contra mim”, contou ela.

ver mais notícias