Cinco pessoas foram presas suspeitas de estarem envolvidos na morte da líder comunitária o traficante desaparecido "Alex Júlio" é o mandante

125265_697x437_crop_5824da71286ff-1Alex Julio Roque de Melo, 25, um dos três jovens desaparecidos, no Grande Vitória, na zona leste é apontado como um dos suspeitos pela morte da líder comunitária, Rosenira Soares de Souza, 47, que combatia o tráfico de drogas na região. De acordo com o delegado Ivo Martins, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), por meio de interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, a polícia descobriu que o rapaz tinha ordem para matar três policiais militares que também combatiam o tráfico na área, sendo que um deles foi preso na última terça-feira (8), por suspeita de estar envolvido no sumiço do trio.

Cinco pessoas foram presas suspeitas de estarem envolvidos na morte da líder comunitária.

O delegado também informou que Alex atuava como chefe do tráfico na região e praticou o homicídio a líder comunitária com ordens do foragido da Justiça Ronaldo Maricaua Flores, 33, o ‘MK’, e participação de outras cinco pessoas sendo dois irmãos de Rita de Cássia Castro da Silva, 19, que também está desaparecida.

Segundo o delegado, as investigações da morte da líder comunitária duraram três meses, e durante o curso dos trabalhos ficou comprovado, que por meio de escutas telefônicas Alex Júlio pediu autorização para Ronaldo Maricaua matar três policiais militares, sendo um da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), outro que mora na comunidade e o aspirante da 4ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), preso na última terça-feira na operação da Corregedoria de Secretaria de Segurança Pública (SSP), que estavam atrapalhando o bando.

“O Alex não tem nada de santo. É envolvido com o tráfico de drogas, roubos e homicídios. Acionamos os policiais e os superiores da PM sobre a ameaça de morte”, disse o delegado Ivo Martins.

Na última terça-feira (8), o delegado Leandro Almada, da Corregedoria da SSP já trabalhava com a hipótese que Alex, Rita e Weverton Marinho Gonçalves estarem mortos.7fa227d03aa5c8d06baac9d1f1cde0b9

Prisões
Conforme Martins, Ronaldo Maricaua foi preso na terça-feira, em Boa Vista (RR), na casa dele, na Rua Uirapuru, bairro São Bento. Os irmãos Wilson Castro da Silva, 22, e Frank Relle Castro da Silva, 21, o ‘Lulu’, parentes de Rita de Cássia, foram presos na Rua 11 de Agosto, no Nova Vitória, bairro Gilberto Mestrinho. Alex Leandro Washington dos Santos, 21, o ‘Alex Colombiano’ e Márcia da Cruz Castelo, 42, foram capturados Rua Oscar Romero, bairro Zumbi dos Palmares.

Durante as prisões a polícia apreendeu R$ 20 mil enterrado num quintal, 14 celulares, um carro, documentos falsos, chips de celular, um revólver de calibre 38 usado para matar a líder comunitária, pistola Beretta e uma porção média de cocaína.

O grupo criminoso foi desarticulado através de mandados de prisão preventiva e busca e apreensão, por conta da morte da líder comunitária Rosenira Soares, que ocorreu no dia 27 de julho deste ano, na casa dela, na Rua Jefferson Péres, no Nova Vitória. Segundo o delegado Ivo Martins, a mulher estava dormindo com filhos no quarto, quando foi assassinada pelos traficantes.

“Sete pessoas foram ao local do crime. Alex Colombiano e Alex Julio mataram a líder comunitária a tiros. Wilson confessou que deu a arma usada no crime. A motivação era que a Rosenira combatia o tráfico de drogas na comunidade”, disse o delegado Ivo Martins, que revelou que ainda falta apreender adolescentes envolvidos no homicídio.

Martins também informou que o combate ao tráfico de drogas da líder comunitária contrariava o movimento criminoso, comandado de Boa Vista, por Ronaldo Maricaua e chefiado por Alex Julio, em Manaus.

À reportagem, Maricaua confessou que é o líder do tráfico nas comunidades Grande Vitória e Nova Vitória, zona leste. Segundo ele, há sete meses estava em Boa Vista, mas não revelou o motivo de ir para outro estado. “Eu não tenho nada a ver com a morte dessa líder comunitária. O Alex Julio estava fazendo tudo da cabeça dele”, contou Ronaldo Maricaua.

O grupo foi indiciado por homicídio, associação criminosa, tráfico de drogas, roubos e adulteração de veículos automotores. Ronaldo, Wilson, Frank e Alex foram encaminhados para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) e Márcia para o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), ambos no quilômetro 8, da Rodovia BR-174.

Desaparecidos
Rita de Cássia Castro da Silva,  Alex Júlio Roquer de Melo, e Weverton Marinho Gonçalves, seguem desaparecidos desde o último dia 29 de outubro deste ano da comunidade Grande Vitória. Eles voltavam de uma festa, quando foram abordados por policiais militares 4ª Cicom e depois sumiram. Na última terça-feira, dez policiais militares foram presos por prisão temporária em uma ação da Corregedoria da SSP para descobrir informações sobre o desaparecimento do trio.

ver mais notícias