Agente penitenciário acertou um tiro na barriga da própria mulher, grávida de seis meses,

Um agente penitenciário, de 34 anos acertou um tiro na barriga da própria mulher, grávida de seis meses, dentro do carro do casal, por volta das 5h deste domingo (08), em Vila Velha.

Os dois retornavam de um show, em Guarapari, quando o incidente aconteceu.
De acordo com Rafael Zardo Neto, o tiro foi acidental.
Mas a companheira dele, uma empresária de 23 anos, negou essa versão e afirmou a policiais civis que o marido atirou nela durante uma discussão dentro do carro.

Rafael foi autuado por tentativa de homicídio, por dolo eventual (feminicídio), embriaguez ao volante e posse de drogas.
Ele foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana e o caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídio Contra a Mulher.

Rafael Zardo Neto, agente penitenciário saindo do DML, acusado de ter atirado na própria esposa grávida.
A mulher do agente foi atingida na parte lateral da barriga e está internada no hospital Jayme Santos Neves, na Serra.

O estado de saúde dela é considerado grave e o bebê precisou ser retirado em uma cirurgia de emergência.
A criança – uma menina – sobreviveu e está, também em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) do hospital.

O casal estava dentro de um Kia Cerato prata, passando pela Rodovia do Sol.
Nas proximidades do bairro Ponta da Fruta, em Vila Velha, Rafael sacou a arma e atingiu a companheira na lateral da barriga.

Rafael socorreu a mulher e a levou para o hospital Santa Mônica, em Itaparica, de onde ela foi transferida para o Jayme Santos Neves, na Serra, em estado grave.

Depois de socorrê-la, o agente penitenciário foi encaminhado para a Divisão de Homicídios (DHPP), onde prestou depoimento à delegada de plantão, foi autuado e preso.Sejus

A Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) informou que o caso já está sendo investigado pela Corregedoria da secretaria e que foi instaurado um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para averiguar a atitude do agente penitenciário.

Se ficar comprovada a má conduta do servidor ele poderá ser advertido ou até mesmo expulso dos quadros da Sejus.

Vítima desmente história do companheiro no hospital

Após passar por cirurgia no Jayme Santos Neves, a companheira de Rafael Zardo Neto conversou com policiais da DHPP e desmentiu a versão apresentada por ele à delegada de plantão.

Segundo a vítima, o disparo não foi acidental, mas efetuado intencionalmente pelo agente penitenciário durante uma briga que os dois tiveram dentro do veículo, quando voltavam do show em Guarapari.

Informalmente, o agente penitenciário tinha dito à delegada de plantão que teria sacado a arma após imaginar estar sendo seguido por outro veículo.
O motivo da perseguição seria uma suposta confusão ocorrida ainda no show.

Ele também disse ter imaginado que poderia estar sendo abordado em um assalto. Ao revidar, teria atingido a companheira por acidente.

No entanto, na tomada formal do depoimento, o agente penitenciário preferiu ficar em silêncio.

No hospital, a vítima negou a versão do companheiro e afirmou que ele disparou contra ela de propósito, no meio de uma discussão.

ver mais notícias