Adolescente de 14 anos é morta com tiros na cabeça durante perseguição policial, em Manaus

Jovem estava com cinco amigos quando abordagem ocorreu,duas amigas da vítima ficaram feridas.

Uma estudante de 15 anos foi assassinada durante uma perseguição policial na madrugada deste sábado (7), no bairro São José na Zona Leste de Manaus. Testemunhas afirmam que policiais militares são suspeitos de terem disparado contra o veículo em que a estudante Rafaela do Carmo Vieira estava, com mais cinco amigos. Ela foi atingida por quatro tiros.

A situação ocorreu na Alameda Cosme Ferreira, próximo a uma casa de shows, por volta das 3h. O pai da vítima, o pedreiro Manoel James da Silva Vieira, 39, informou que a filha tinha saído de casa com mais duas amigas e três amigos para ir a uma festa. Na volta para casa, o carro em que os jovens estavam foi parado pela polícia.

“A informação que eu tenho é que a PM pediu para pararem o carro e eles não pararam. Os policiais teriam atirado e o tiro pegou na minha filha. Ela estava no banco de trás. Todo mundo viu, meu dois filhos viram”, disse o pai.       

O homem contou que a ação foi testemunhada pelo filho mais velho e por dezenas de pessoas que estavam na rua, no momento. “Espero que a justiça seja feita, eles mataram a minha filha. Quero justiça. Eles saíram atirando feito doidos”, lamentou.

Outras duas adolescentes ficaram feridas e foram levadas para o Pronto Socorro João Lúcio, no bairro São José, Zona Leste. O veículo em que os jovens estavam, um Gol prata, foi levado ao estacionamento da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs).

O caso foi registrado no 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Durante a madrugada, os outros jovens que estavam no veículo foram à delegacia prestar depoimento e fazer Boletim de Ocorrência. 

Em nota, o Comando Geral da Polícia Militar do Amazonas confirmou a perseguição, ocorrida após o Gol fugir durante uma blitz. “Informamos ainda, que os policiais envolvidos na ação estão sendo ouvidos na diretoria de Justiça e Disciplina da PMAM (DJD) que irá apurar os fatos, junto ao Instituto de Criminalística e a Polícia Civil. O Comando da Corporação esta acompanhando as investigações sobre o ocorrido”, finalizou o comunicado.

ver mais notícias