Polícia investiga a relação entre cinco assassinatos de moradores de rua praticados com características semelhantes em Manaus

Cinco moradores de rua, entre elas uma gravida de oito meses foram mortos esse mês de junho vítima de assassinato supostamente por o mesmo assassino

A Polícia Civil do Amazonas investiga a relação entre cinco assassinatos praticados com características semelhantes. Todas as vítimas foram mortas por disparo de arma de fogo, todos são moradores de rua.

Dois moradores de rua identificados como “Barbudo” e “Neguinho” foram encontrados mortos na madrugada desta quarta-feira (21), no bairro Tancredo Neves, Zona Leste de Manaus.

Uma ligação anônima informou à polícia que os dois homens estavam deitados na calçada e que havia muito sangue em volta. Quando chegou ao local, a polícia encontrou as duas vítimas, de idade ainda não informada, deitados na calçada.

Os dois tinham muitos ferimentos na cabeça. Segundo informações de testemunhas informaram que um homem se aproximou da dupla, que estava sentada em uma calçada conversando. Ele efetuou um disparo em cada morador de rua e saiu do local correndo.

Uma das vítimas foi atingida nos olhos e o outro na testa. Os dois morreram no local, foram encontrados restos de entorpecentes nos bolsos das vitimas.

Este é o quarto caso somente mês de junho de assassinato a moradores de rua em Manaus. A polícia segue em busca dos suspeitos.

 

Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte da cidade.

O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Primeiro caso

No início de junho, um guardador de carros foi assassinado no bairro Tancredo Neves, próximo ao local em que ocorreu a morte dos moradores de rua nesta madrugada. Segundo a polícia, ele teria roubado uma máquina de lavar antes de ser morto. Dois homens são suspeitos do homicídio. O crime ocorreu na rua 31 de Maio, próximo a um estabelecimento de lavagem de veículos.

A polícia acredita que os crimes podem estar relacionados. As mortes podem ter a ver com o acerto de contas relacionada ao tráfico ou ainda com um suposto grupo – sem identificação – que estaria em busca dos moradores de rua, para retirá-los da área.

Segundo e terceiro caso

A moradora de rua Leydiane Ferreira de Souza, 20, foi encontrada morta na última segunda-feira (19), dentro do prédio abandonado da Santa Casa de Misericórdia, na rua 10 de Julho, Centro da cidade. Segundo a família, a mulher estava grávida de oito meses e era usuária de drogas.

“Desde adolescente ela resolveu morar na rua por causa das drogas. Ela estava grávida e mesmo assim não parou com as drogas. Não sabemos ao certo o que aconteceu aqui, mas temos certeza que a morte dela tem ligação com as drogas”, disse a irmã da vítima, Yanael De Souza, 17.

O corpo foi encontrado por outros moradores de rua por volta das 8h. Segundo o delegado do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Marcos Paulo, a mulher foi vítima de dois disparos de arma de fogo na região do pescoço.

 

 

 

 
ver mais notícias