Trump admite que ‘fez muito dinheiro’ graças a negócio fechado com Kadafi

JERSEY CITY, Estados Unidos — O republicano Donald Trump admitiu que obteve muito dinheiro graças a um acordo com Muamar Kadafi em 2009. No entanto, o magnata americano afirma que não fazia ideia de que o então ditador líbio estava envolvido no aluguel do seu imóvel no subúrbio de Nova York. O atual candidato às eleições presidenciais americanas disse que Kadafi fechou negócio com ele porque precisava de um lugar para se hospedar.

Segundo Trump, o ditador líbio nunca chegou a efetivamente se hospedar no imóvel, alugado para instalar uma tenda em estilo beduíno. O episódio teria acontecido em 2009, quando Kadafi fez uma visita à Assembleia Geral das Nações Unidas.

— Ele me pagou uma fortuna e nem sequer ficou ali. No fim, o assunto virou uma grande piada — afirmou o magnata ao canal “CBS”.

Embora o ditador nunca tenha ido à propriedade, o assunto virou motivo de escândalo na imprensa local. Repórteres se aglomeraram em torno da casa, onde foi instalada uma enorme tenda com decorações em forma de camelos e palmeiras. Dentro, havia móveis e sofás de couro.

Eventualmente, a tenda foi desmantelada após a prefeitura local ter ameaçado processar Trump. No entanto, logo depois a tenda foi levantada novamente.

Foi então que Trump buscou se distanciar do assunto, assegurando que ele havia sido enganado. Ele afirmou que até então não sabia de que Kadafi estava envolvido no pedido de reserva da propriedade. O magnata teria sido informado de que o negócio havia sido fechado com uma delegação dos Emirados Árabes.

— Temos sócios corporativos em todas as partes do mundo. A propriedade foi alugada a curto prazo para uma delegação do Oriente Médio que poderia não estar relacionada a Kadafi — disse, à época, uma porta-voz da Organização Trump.

ver mais notícias