Quênia usa gás e máscaras para deportar 45 taiwaneses para a China

PEQUIM – O Quênia deportou nesta quarta-feira 45 taiwaneses para a China, numa operação que envolveu o uso de gás lacrimogêneo e máscaras cobrindo os rostos dos suspeitos, numa medida vista como uma forma de Pequim reafirmar sua soberania sobre a ilha rebelde.

Os detidos fazem parte de um grupo maior, formado por 117 pessoas de Taiwan e da China presas no Quênia sob a suspeita de fraude na internet. Pequim afirma que Taiwan faz parte de seu território, e usou essa alegação para requisitar a extradição. Para Taipé, no entanto, seus cidadãos “foram sequestrados”.

Esta semana, Taipé acusou Pequim de ter pressionado “ilegalmente” Nairóbi para obter a expulsão de oito cidadãos taiwaneses — eles não haviam sido acusados pela Justiça queniana. A estes se juntaram os outros 37.

O diretor do Escritório Chinês Assuntos Taiwaneses, Zhang Zhijun, informou a Taipé que “residentes taiwaneses suspeitos de terem cometido fraudes por via eletrônica estão detidos pela agência de segurança pública”, anunciou a agência estatal de notícias Xinhua. “Os taiwaneses suspeitos de fraude teriam criado uma base no exterior para enganar, a um ritmo crescente, pessoas da China continental”, afirmou Zhang.

Para analistas, o objetivo do governo chinês é obter concessões da presidente eleita de Taiwan, Tsai Ing-wen, que se recusa a endossar a política de “uma só China”. Ela assume o cargo em 20 de maio.

A ilha está separada politicamente desde o fim da guerra civil em 1949, quando as forças nacionalistas do Kuomintang, derrotadas no continente pelos comunistas de Mao Tsé-Tung, se refugiaram no local.

Vídeos que circulam na internet mostram a retirada à força dos detidos de uma cela no Quênia. Um grupo de homens fez uma barricada na porta para impedir a entrada dos guardas.

— Nós somos taiwaneses, somos taiwaneses — grita um deles.

A polícia acabou por usar gás lacrimogêneo para forçá-los a sair, sendo levados ao aeroporto. Fotos do governo chinês mostram o grupo a bordo de um avião com as cabeças cobertas por um saco preto.

ver mais notícias