PSOE não consegue maioria para formar governo

MADRI — Desde as eleições de dezembro, Madri tenta responder a um sistema político fragmentado — até agora, sem sucesso. O Partido Socialista espanhol não conseguiu, pela segunda vez, votos suficientes para formar um governo na Espanha nesta sexta-feira. Os socialistas só tiveram 131 dos 176 votos necessários para que o líder do partido, Pedro Sánchez, se tornasse primeiro-ministro e conduzisse uma nova administração.

O PSOE já havia sofrido revés similar diante dos 350 deputados da câmara baixa do Parlamento na quarta-feira, quando conseguiu o apoio de 130 deles — 90 da própria legenda e 40 do Ciudadanos, que tinha um acordo de investidura com os socialistas. Os partidos PP e Podemos, nas duas votações, barraram a conquista da maioria

As legendas espanholas dispõem agora de dois meses para tentar compor um novo governo. Caso contrário, outra eleição geral será convocada para 26 de junho.

O conservador Partido Popular foi quem conquistou mais apoio popular no pleito de dezembro. Ainda assim, não recebeu votos suficientes para retomar a maioria parlamentar. Tradicionalmente formado por dois polos partidários, o cenário político espanhol precisa se reiventar com a recente ascensão dos partidos Podemos e Ciudadanos.

ver mais notícias