Por que as mais jovens não amam Hillary?

WASHINGTON – Nenhuma mulher esteve tão perto quanto Hillary Clinton de ser presidente dos EUA. A ex-secretária de Estado lidera a corrida democrata e cada vez mais leva vantagem sobre Bernie Sanders. Para muitas feministas, é uma mudança profunda. À ex-primeira-dama são atribuídos alguns dos maiores avanços de igualdade no país. Mas, nestes meses de campanha, a candidata se deparou com um problema geracional: enquanto a maioria das mulheres a apoia, ela não convence as americanas mais jovens.

Assim como em 2008, quando Barack Obama era o candidato da mudança, agora é Sanders, um senador independente e socialista de 74 anos. Os eleitores, especialmente mais jovens, estão cansados dos políticos tradicionais e de sua incapacidade de resolver os problemas cotidianos. E Hillary enfrenta os ventos anti-Washington e anti-establishment que sopram entre os mais novos.

Ela fez selfies, entrou no Snapchat, dançou com a apresentadora Ellen DeGeneres e visitou campi universitários. Sua campanha recrutou jovens celebridades como a cantora Demi Lovato para tentar captar o voto das adolescentes. Não conseguiu. Sanders, por sua vez, é visto como alguém honesto e autêntico. Seu discurso, mais em sintonia com as preocupações dos jovens, caiu nas graças da geração Y.

— É uma mensagem centrada na igualdade, no custo da educação e na alta dívida estudantil — explicou Evan Tracey analista da George Washington University.

Muitos acreditam que Hillary é uma republicana disfarçada, que defende as grandes corporações em detrimento da classe média. Simplesmente não confiam na candidata do establishment. E mais: para as mulheres dessa geração, que já conseguiram todos os privilégios pelas quais suas mães lutaram, o gênero do futuro presidente é muito menos relevante. Para Molly Roberts, colunista da revista estudantil de Harvard, o feminismo mudou, principalmente no campus.

— Não importa que Hillary seja mulher. Importa que não é nosso tipo de mulher. Muitas eleitoras acham que, por mais que ela compreenda as preocupações das mulheres, Hillary não entende os problemas daquelas que sofreram opressão, como as pobres, negras e homossexuais.

ver mais notícias