Oposição da Venezuela diz ter o triplo de assinaturas necessárias para referendo

CARACAS — A oposição venezuelana afirma ter recolhido cerca de 600 mil assinaturas para dar início ao processo de realização de um referendo revogatório contra o mandato do presidente Nicolás Maduro. O número é três vezes maior do que o mínimo exigido pelo órgão eleitoral do país.

O Conselho Eleitoral da Venezuela (CNE) autorizou o início do recolhimento de assinaturas na última quarta-feira, dando um prazo de 30 dias.

— São cifras extraordinárias. Fala-se em mais de 600 mil assinaturas apenas na quarta-feira. É um número muito alto, levando em conta que o CNE pede um pouco menos de 200 mil — disse o vice-presidente do Parlamento, Enrique Márquez.

O deputado afirmou ainda que as assinaturas serão levadas para a verificação do CNE no início da próxima semana — um dos requisitos para a convocação do referendo. Em seguida, a coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD) deverá recolher cerca de 4 milhões de assinaturas para que o referendo seja efetivamente convocado.

Na quarta-feira, o presidente venezuelano considerou inviáveis as tentativas de oposição de destituí-lo.

— Nada do que estão fazendo tem viabilidade política, e a revolução vai continuar e vai ter esse presidente por pelo menos até 2018 — disse Maduro em um encontro com partidários.

Márquez criticou as declarações do presidente:

— O povo venezuelano decidiu mudar e o fez de forma contundente. Lhe daremos uma lição de democracia e convicção cívica que não terá alternativa a não ser deixar (o palácio de) Miraflores — disse o deputado.

ver mais notícias