oea / venezuela / carta / democrática

WASHINGTON, 2 (AG) – O Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou, na noite de quarta-feira, sua primeira declaração sobre o país, mas com um texto elaborado numa longa negociação dos 34 países e com anuência dos representantes de Nicolás Maduro. Isso reduziu a força da proposta do secretário-geral da entidade, Luis Almagro, de aplicar a Carta Democrática sobre o país, que poderia até ser suspenso.

Na votação da declaração ficou claro que os embaixadores dos países acusam Almagro de atuar para a plateia, de forma intempestiva e sem negociar previamente com os países. Por outro lado, partidários do uruguaio afirmam que os países são coniventes e aprovaram um texto que foi comemorado em Caracas e que terá pouca efetividade.

Caso a Venezuela não entregue o prometido, as nações americanas ainda podem vir a aprovar a proposta de Almagro, que deve ser analisada até o fim do mês, se superarem suas picuinhas internas. Para quem passa fome e vê o risco de uma guerra civil cada vez mais iminente, cada hora conta.

ver mais notícias