OEA e EUA farão intervenção na Venezuela, diz chanceler

CARACAS – A chanceler venezuelana, Delcy Rodríguez, disse nesta quarta-feira que o país vê a aproximação de uma intervenção da OEA e dos EUA. Ela criticou a decisão do secretário-geral do bloco, Luis Almagro, de “usar como desculpa o argumento de ruptura da ordem constitucional” do governo de Nicolás Maduro para solicitar a ativação de um processo de suspensão do país.

— Avizinha-se uma intervenção, inclusive armada, por parte do império, que criou situações artificiais como a crise econômica, pretexto para realizar uma intrusão — disse ela, chamando o uruguaio de “ingerencista às ordens” do presidente dos EUA, Barack Obama.

Para Delcy, “na Venezuela, Almagro não dá ordens”.

— Você sabe a recomendação que o presidente Maduro te deu para o que fazer com este informe — disse ele, referindo-se à Carta Democrática Interamericana, cujo artigo 20 prevê a suspensão de um país em casos excepcionais e que Maduro sugeriu que Almagro “enfiasse onde lhe coubesse”.

Delcy havia dito antes que Almagro estaria agindo de forma fraudulenta. Ela acusou o secretário-geral de estar a serviço de Washington em uma campanha de assédio à Venezuela.

ver mais notícias