'Nuvens do Juízo Final' são reconhecidas por cientistas

Organização Meteorológica Mundial reconheceu oficialmente um tipo raro de nuvens e o incluiu na nova edição do Atlas Internacional das Nuvens. O portal The Verge frisa que este tipo peculiar de nuvens, que formam silhuetas assustadoras (por exemplo, de rostos de pessoas) é conhecido já por muito tempo, mas até agora nunca fora propriamente estudado e descrito.

 

As pessoas pouco familiarizadas com a meteorologia ficam frequentemente amedrontadas com este fenômeno, já que ele é associado com o Juízo Final ou com uma invasão de extraterrestres.

Há mais de 9 anos, as nuvens “apocalípticas” atraíram a atenção do fundador da Sociedade dos Amadores de Nuvens, o escritor britânico Gavin Pretor-Pinney. No ano de 2009 ele propôs batiza-las como Undulatus asperatus (ondeado e colinoso, em latim) e inclui-las em uma classificação geral das nuvens.

O autor conseguiu o desejado apenas passados 8 anos. Em uma nova edição do atlas, as nuvens se chamam asperitas (aspereza em latim), já que por regra o nome deve ser um substantivo. Além disso, o atlas foi enriquecido por mais 11 tipos de nuvens — volutus, flumen, fluctus e outros.

O Atlas Internacional das Nuvens foi pela primeira vez publicado em 1896, sendo que última vez em que um novo tipo de nuvens foi adicionado se deu em 1951. Com informações da Sputnik News Brasil.

ver mais notícias