Itália resgata quase 900 refugiados na costa da Sicília

ROMA — A guarda costeira italiana resgatou nesta quinta-feira quase 900 imigrantes de duas embarcações na costa da Sicília. Segundo autoridades, a maioria das pessoas resgatadas em segurança era de refugiados sírios. Em seu caminho ao continente europeu, centenas de pessoas já perderam suas vidas ao se arriscarem em perigosas travessias nas águas mediterrâneas desde o início da crise migratória.

Um porta-voz da guarda costeira afirmou que 515 pessoas haviam sido retiradas de um barco e outras 380 pessoas foram resgatadas em uma segunda operação. Autoridades ainda não conseguiram identificar precisamente as nacionalidades de todos imigrantes, embora saiba-se que havia sírios e iraquianos a bordo.

A costa italiana vem sendo cenário de consecutivos naufrágios de embarcações que levam imigrantes ao território europeu clandestinamente. Segundo o Alto Comissariado para Refugiados da ONU (Acnur), o número de refugiados que chegaram à Itália chegou a 9.149 em abril, superando os 3.650 desembarques em território grego no mesmo período.

Desde o início do ano, o número de imigrantes que chegaram por via marítima à Itália chegou a 31.250 pessoas. O número representa uma queda de 14% na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo o Ministério do Interior. A maioria destas pessoas vieram de países africanos, incluindo Nigéria, Gâmbia e Somália.

A rota de imigração tem se tornado um desafio cada vez maior com o fechamento de diversas fronteiras europeias. Além disso, um acordo entre a União Europeia (UE) e a Turquia também aumentou o controle sobre o fluxo migratório, na tentativa de reduzir a pressão sobre os países que servem de porta de entrada ao continente europeu.

ver mais notícias