Israel interrompe transferências fiscais a palestinos após onda de violência

JERUSALÉM — O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, decidiu nesta sexta-feira que cortará as transferências fiscais que são enviadas mensalmente à Autoridade Palestina. A decisão vem como parte de uma série de medidas adotadas após uma onda de ataques de palestinos contra israelenses na Cisjordânia durante a última semana.

A quantidade duduzida dos cerca de US$ 130 milhões mensais enviados à instituição deverá ser equilvalente ao valor pago a combatentes em prisões israelenses e às famílias de combatentes presos ou assassinados.

“Netanyahu ordenou que sejam deduzidas da totalidade dos fundos transferidos à Autoridade Palestina as somas que esta última destina aos terroristas e a suas famílias”, afirmou o gabinete do premiê em um comunicado.

Em 24 horas, houve registro de quatro ataques de palestinos contra israelenses. Nesta sexta-feira, um palestino matou um israelense poucas horas depois de uma tentativa de ataque contra guardas de fronteira. No dia anterior, uma adolescente israelense-americana de 13 anos morreu ao ser esfaqueada enquanto dormia dentro do seu quarto um assentamento perto de Hebron, no Sul da Cisjordânia.

A Autoridade Palestina, instituição estatal semi-autónoma que governa nominalmente partes da Palestina, ainda não comentou a declaração de Israel.

ver mais notícias