Incerteza total marca as pesquisas sobre saída britânica da UE

LONDRES Faltando apenas cinco semanas para o referendo sobre se o Reino Unido deve permanecer na União Europeia (UE), a mensagem de pesquisas de opinião não deixa dúvidas: é impossível prever como os britânicos vão votar em 23 de junho. O que não é nenhuma novidade em se tratando das sondagens britânicas, que não conseguiram prever a vitória, de forma inesperada, do primeiro-ministro David Cameron, no ano passado.

Vários levantamentos apontam para os dois lados. Um deles, realizado pelo instituto ICM, conseguiu a proeza de ter ambas as respostas: nos contatos com os entrevistados por telefone, o resultado foi “sim” para a permanência na UE; já on-line, venceu o “não”. Importante: ambos com 47%.

— Confuso? Você tem todo o direito de estar — afirma o diretor do ICM, Martin Boon. — Se você quiser me perguntar qual será o resultado, a resposta que tenho para dar é: eu apenas não sei.

A possível saída britânica abalaria as estruturas da UE, já combalida por desavenças entre governos sobre imigração e a moeda única, o euro — o Reino Unido é uma potência bélica e a segunda economia do bloco, atrás só da Alemanha.

— A única alternativa à nossa união é o caos político — disse ontem o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

ver mais notícias