Governo argentino apresenta informe alarmante sobre herança do kirchnerismo

BUENOS AIRES — Três meses depois de prometer apresentar um informe minucioso sobre a herança recebida dos governos kirchneristas, o presidente argentino, Maurício Macri, apresentou nesta sexta-feira o “Estado do Estado”, documento que revela centenas de dívidas com fornecedores e empresas contratadas, obras interrompidas por falta de verba e desvios irregulares de fundos durante o governo da ex-presidente Cristina Kirchner.

O relatório de 219 itens — publicado na página oficial da Casa Rosada — indica que, quando Macri assumiu, em dezembro do ano passado, os cofres públicos estavam “em um estado próximo da paralisia, com várias cadeias de pagamento cortadas e sufocados por uma situação macroeconômica cada vez mais delicada”.

Segundo fontes do governo, trata-se de um diagnóstico da situação deixado pelo governo antecessor, mas também “denúncias apresentadas pelo Escritório Anticorrupção e pela Sigen (órgão que controla o sistema interno), entre outros organismos de controle”.

No documento, aparecem contratações e pagamentos para a construção de casas que nunca foram feitas — ou foram construídas em áreas sem serviços básicos, que eles não eram habitáveis.

ver mais notícias