Ex-secretário kirchnerista que tentou esconder dinheiro em mosteiro é processado na Argentina

BUENOS AIRES — O ex-funcionário kirchnerista pego em flagrante quando tentava esconder dinheiro e joias em um mosteiro na cidade de General Rodriguez, na província de Buenos Aires, foi acusado nesta quinta-feira de enriquecimento ilícito.

O juiz considerou que José Francisco López, secretário de Obras Públicas do governo Cristina Kirchner (2007-2015) e atual deputado do Parlamento do Mercosul, não conseguiu justificar a posse em seu patrimônio de US$ 8,9 milhões, € 153 mil euros, 59 mil pesos e dois relógios Rolex.

López foi preso há duas semanas no mosteiro graças a uma denúncia telefônica de moradores do lugar. Ele tentava esconder os pertences em quatro malas.

O ex-secretário foi braço-direito do ex-ministro do Planejamento kirchnerista Julio de Vido (mencionado em investigações da Lava Jato), e está sendo investigado em vários processos sobre suposta corrupção.

Também nesta quinta-feira, dez propriedades de Cristina Kirchner foram alvos de busca na província de Santa Cruz nesta quinta-feira, no marco das investigações contra a ex-presidente da Argentina e seu filho por suposto enriquecimento ilícito e falsificação de documentos públicos.

ver mais notícias