EUA mantêm presos 14 brasileiros que fizeram mesma rota de desaparecidos


O Ministério das Relações Exteriores informou que 14 brasileiros estão detidos em um centro de detenção migratória em Pompano Beach, na Flórida (EUA), à espera de deportação em razão de terem tentado ingressar ilegalmente no país norte-americano por meio da rota marítima que parte das Bahamas.

O percurso, que tem como destino Miami, é o mesmo utilizado pelos 19 brasileiros que estão desaparecidos há mais de dois meses. O governo não divulgou a identidade dos brasileiros desaparecidos.

Em relação aos 14 brasileiros presos na Flórida, o Itamaraty afirmou que o processo de deportação não “costuma” durar mais de um mês nos Estados Unidos. Conforme o ministério, os detidos estão sendo assistidos pelo Consulado-Geral do Brasil em Miami e estão “bem de saúde”.

“O Consulado-Geral do Brasil em Miami está em contato com as autoridades norte-americanas responsáveis pelo caso e presta assistência consular e jurídica aos nacionais detidos, tendo constatado, em visita recente, que se encontram bem de saúde”, relatou o ministério por meio de nota.

O Itamaraty destacou que, atualmente, há registro de rotas “significativas” de imigração ilegal para o território norte-americano por meio do México, das Bahamas e do Canadá.

O governo brasileiro disse tem conhecimento da rota Bahamas-Estados Unidos há cinco anos. Entre 2011 e 2016, informou a pasta, em média cerca de 40 e 60 brasileiros utilizaram o percurso pelo Mar do Caribe.

“É uma rota que já existe há pelo menos 5 anos. A rota do México e essa rota elas se comparam. Nós sabemos que a rota das Bahamas é tida como mais segura, confortável e não envolve a travessia a pé, então é uma rota muito cara”, disse à TV Globo a diretora do Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior do Itamaraty, Luiza Lopes da Silva.

 

O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota nesta segunda 26 afirmando que tomou conhecimento do sumiço do grupo de brasileiros, no dia 15 de novembro, por meio do relato de familiares.

Ainda de acordo com o ministério, as autoridades dos EUA e das Bahamas foram alertadas “imediatamente” sobre o suposto desaparecimento. A guarda costeira dos dois países estão atuando nas buscas dos desaparecidos.

Hipóteses

A diretora do Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior do Itamaraty afirmou à TV Globo que a hipótese mais provável é a de que os desaparecidos estejam em um lugar seguro, incomunicáveis, esperando um momento propício para realizar a travessia.

O Itamaraty trabalha ainda com a possibilidade de o grupo estar à deriva no mar, mas descarta a hipótese de naufrágio. Segundo Luiza Lopes, as autoridades norte-americanas não encontraram vestígios de naufrágio no Mar do Caribe.

“A primeira hipótese ganha mais força pelo fato de que nos últimos meses tanto as autoridades de aplicação da lei bahamense quanto as americanas têm conseguido identificar um grande número de potenciais imigrantes clandestinos, tanto é que temos tido prisões, detenções de brasileiros tanto nas Bahamas quanto na Florida há vários anos”, ressaltou a diretora do Departamento Consular e de Brasileiros.

ver mais notícias