Desaparecidos, irmãos falavam com parentes ao telefone na hora de explosão em aeroporto de Bruxelas

BRUXELAS – A peruana Adelma Marina Tapia Ruiz, de 36 anos, é a primeira das 34 vítimas dos ataques terroristas em Bruxelas a ser identificada. A mulher, que morava na capital belga, estava no aeroporto de Zaventem para embarcar para Nova York, onde ela e sua família se reuniriam para a Páscoa. Outras famílias acabaram desaparecidas após o ataque.

Adelma trabalhava como chef e planejava abrir um restaurante peruano em Bruxelas. A mulher estava acompanhada do marido, belga, e das filhas gêmeas de 3 anos de idade. O marido e as filhas, que não estavam no saguão na hora do ataque não se machucaram.

“As meninas tinham ido brincar e Christopher as seguiu para longe do portão quando a explosão ocorreu de repente. Christopher não encontrou Adelma”, contou um irmão dela.

Já os irmãos nova-iorquinos Sascha e Alexander Pinczowski conversavam com parentes por telefone no aeroporto. Jornais relataram que os familiares ouviram sons de vidros explodindo antes de a linha ser cortada. A família lançou até um apelo no Facebook em busca deles.

O britânico David Dixon estaria no metrô de Maelbeek durante a explosões que deixou 20 mortos. Programador de tecnologia da informação, ele viajava a trabalho.

ver mais notícias