Chefe da diplomacia europeia chora ao falar sobre atentados na Bélgica

AMÃ — A chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, não conseguiu conter a emoção e chorou ao falar sobre os atentados que mataram dezenas de pessoas na manhã desta terça-feira em Bruxelas, capital da Bélgica. Em visita à Jordânia, a diplomata pediu que a Europa e países do Oriente Médio se unam para barrar a violência e radicalização que traz sofrimento a ambas as partes do mundo.

— É um dia muito triste para a Europa, da forma como a Europa e suas capitais estão sofrendo da mesma dor que esta região conhece todos os dias — disse Federica. — Atormentando na Síria, atormentando em todos os lugares.

Dados das Nações Unidas indicam que a Jordânia tem mais de 600 mil refugiados registrados que fogem da guerra civil na Síria, que já dura cinco anos e provocou o deslocamento de mais de dez milhões de migrantes.

— É bastante claro que as raízes da dor que estamos sofrendo ao redor da nossa região são as mesmas e que nós estamos unidos não apenas no sofrimento das nossas vítimas, mas também reagindo a esses atos e prevenindo a radicalização e a violência juntos — disse a diplomata.

Ao encerrar sua fala, Federica abriu espaço para o ministro do Exterior da Jordânia, Nasser Joudeh, mas não conseguiu segurar as lágrimas e chorou nos ombros do colega por um instante, antes de deixar a conferência.

ver mais notícias