Centenas de sul-coreanos protestam após mulher morrer esfaqueada

SEUL — Centenas de pessoas saíram às ruas da capital sul-coreana para protestar após a morte de uma mulher que foi esfaqueada aos 23 anos. O episódio provocou revolta no país em que muitas mulheres vivem com medo de serem atacadas. As manifestações já chegam ao quarto dia e vêm acompanhadas de outros atos simbólicos em memória da vítima.

Os manifestantes usavam roupas brancas e casacos de vinil quando começaram a marcha em uma estação de metrô de Seul. O local escolhido para a concentração do protesto fica perto do ponto onde a vítima foi atacada por um homem desconhecido em um banheiro na última terça-feira.

O portão da estação foi coberto de milhares de mensagens de homenagem. A maioria dos textos aparentava ter sido escrita por mulheres que expressaram luto e seus medos de se tornarem novas vítimas da violência contra as mulheres.

Pesquisas recentes mostram que crimes violentos contra as mulheres têm crescido na Coreia do Sul.

 

ver mais notícias