Cameron descarta segundo referendo sobre saída do Reino Unido da UE

LONDRES — O primeiro-ministro britânico, David Cameron, descartou a possibilidade de um segundo referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE). A declaração do premier veio após milhões de britânicos terem assinado uma petição pedindo ao governo que uma nova votação fosse realizada — em uma tentativa de reverter o resultado do apertado referendo da última quinta-feira, em que o Brexit saiu vencedor com 52% dos votos.

Nesta segunda-feira, Cameron anunciou a criação de uma unidade especial no governo britânico para implementar o Brexit. Um porta-voz do primeiro-ministro esclareceu ainda que a realização de um segundo referendo “não está nem remotamente em jogo”.

Mas o Reino Unido ainda não ativou o Artigo 50, que inicia formalmente os dois anos de procedimentos para a sua retirada da UE. Segundo Cameron, esta será uma missão para o próximo premier britânico, responsável por liderar o processo de saída.

Após a derrota da sua campanha pela permanência britânica no bloco europeu, Cameron renunciou ao cargo na sexta-feira. Ele deverá deixar o posto de premier em outubro, e o nome do seu sucessor deverá ser conhecido até 02 de setembro.

— Recomendamos que o processo de eleger o novo líder do Partido Conservador comece na semana que vem e conclua no mais tardar em no dia 2 de setembro, apesar de ser possível que termine antes — afirmou Graham Brady, presidente do comitê parlamentar conservador.

Dois deputados conservadores aparecem como possíveis sucessores. O primeiro é Boris Johnson, ex-prefeito de Londres que liderou a campanha contra a UE. A segunda é Theresa May, ministra de Interior ligada a Cameron, que poderá se beneficiar da vontade de revanche contra Johnson de parte do seu partido.

ver mais notícias