‘Brincávamos que ele viraria terrorista’, dizem ex-colegas de turma de Mateen

ORLANDO — Desde a época de escola, o atirador que matou 49 pessoas em uma boate gay de Orlando mostrava tendências violentas. Este é o relato dos ex-colegas de Omar Mateen, que presenciaram suas ameaças e explosões violentas muito antes de ele se tornar o responsável pelo maior ataque armado da História dos EUA.

Em entrevista ao “The Wall Street Journal”, dezenas de pessoas que relataram o que viram da vida de Mateen. As histórias incluem uma briga com um companheiro de classe e diversas advertências dos seus professores.

O comportamento de Mateen fazia com que muitos dos seus colegas dissessem, em tom de brincadeira, que um dia ele se tornaria um terrorista. Hoje, a notícia do massacre à boate Pulse veio como um choque para eles.

— Nós faziamos brincadeiras dizendo que ele se tornaria um terrorista — disse Robert Zirkle, que estudo com Mateen nesta época, ao jornal americano. — E então ele fez isso. Entre 1992 e 1999, ele recebeu 31 punições da escola por mau comportamento. Nos dois anos seguintes, ele passou 48 dias suspenso das aulas.

Seus colegas de turma também relatam que Mateen comemorou os ataques de 11 de setembro. Enquanto todos estavam chocados com o atentado em Nova York, ele não hesitou em expressar alegria dentro da sala de aula e disse que Osama bin Laden era seu tio. O episódio de 2001 levou os professores a imediatamente chamar seu pai à escola.

Outros conhecidos do americano, que é filho de afegãos, chamaram ele de “cruel”, “perturvado” e “assustador”.

Uma das suas antigas professoras disse ainda que ele costumava chamar outros estudantes de feios ou homossexuais, na tentativa de irritá-los. Mas ela também via uma parte mais gentil da sua personalidade.

— Esta é a parte assustadora. Havia uma parte gentil dele que você podia ver e, ainda assim, ele podia ser tão desagradável.

ver mais notícias