Ben Carson anuncia apoio a Trump na disputa presidencial

WASHINGTON — Após abandonar a corrida à Casa Branca, o ex-presidenciável Ben Carson anunciou que apoiará o pré-candidato Donald Trump na disputa a partir desta sexta-feira. Em uma coletiva conjunta, o neurocirurgião e o magnata fizeram a declaração a poucos dias de mais uma votação-chave para as eleições americanas. Embora os dois tenham sido rivais antes das prévias americanas, Carson se junta agora ao governador Chris Christie na campanha pelo bilionário americano que costuma causar polêmica com suas declarações.

Em seu anúncio desta sexta-feira, Ben Carson afirmou que sua decisão em apoiar Donald Trump tenta evitar que o partido republicano se divida irreparavelmente — o que, em sua opinião, entregaria as eleições aos democratas.

A decisão já vinha sendo anunciada pela imprensa local, sobretudo após Carson ter expressado sua inclinação em apoiar Trump para a nomeação do partido republicano. Ele disse acreditar que o empresário será capaz de deixar de lado sua retórica polêmica, que vem marcando a sua campanha.

— Existem dois Donald Trump: o que você vê na TV e diante das plateias, e o dos bastidores. Não são a mesma pessoa. Um é um artista, o outro é um indivíduo pensante — disse ele à rádio da Fox News na quinta-feira.

Segundo analistas, uma vitória de Trump na Flórida poderia representar uma sentença de morte ao senador Marco Rubio — que tenta frear o bilionário na disputa republicana ao lado do senador texano Ted Cruz.

Último colocado nas prévias da Carolina do Sul e de New Hampshire, Carson já dava sinais de que não decolaria na disputa à Presidência. Mas o neurocirurgião decidiu continuar recebendo doações eleitorais e manter a campanha como uma forma de “levantar a bandeira dos princípios americanos”.

— O que os EUA precisam agora é de ética. Apesar de eu estar deixando a trilha da campanha, estarei profundamente envolvido no processo. Muitas pessoas me adoram, mas não votam em mim.

Carson chegou a rivalizar com Donald Trump no topo das pesquisas de intenção de voto no início da disputa republicana. Até então, o médico era o símbolo do americano que se esforçou para ascender na vida e capitalizava o descontentamento do eleitorado americano contra políticos tradicionais por vir de outra seara profissional. Pouco depois, despencou no ranking republicano após desempenhos considerados fracos nos debates — principalmente em temas de política externa.

ver mais notícias