Atletas do vôlei devem cancelar passeios

O atentado a bomba deixou as jogadoras da seleção brasileira de vôlei, que disputam o Grand Prix e estão em Istambul para treinamento, apreensivas: além do embarque para Bangcoc na sexta-feira, pelo mesmo aeroporto, elas terão de mudar os planos para o período de folga amanhã. Sheilla, que atuou na última temporada no clube Vakifbank, de Istambul, falou que visitaria o Grande Bazar, um dos mais antigos do mundo, mas que não irá mais.

— Estava prevista uma folga para quinta e íamos passear. Acredito que, com este ataque, não terá mais passeio — confirmou a atacante Tandara.

Tandara contou que elas já estavam no hotel, relativamente longe do aeroporto de Istambul, na área asiática, quando souberam do atentado. Ela falava com o marido Cleber, que está no Brasil, quando foi avisada por ele sobre o ocorrido. Tandara na hora se sentiu aliviada, porque a seleção havia chegado pelo mesmo aeroporto na véspera, mas também ficou apreensiva. Esta mistura de sentimentos, segundo ela, é compartilhada pelas demais atletas.

— Ficamos aliviadas porque chegamos ontem (anteontem), mas preocupadas porque temos um voo na sexta-feira para Bangcoc para a fase final do Grand Prix. Não é normal para a gente presenciar isso. Claro que dá medo — comentou. — Quando lembrei que passamos por lá na véspera, deu aquele frio na barriga, uma apreensão.

O Brasil fez três jogos em Ancara e, antes de embarcar para a fase final da competição, na Tailândia, optou por uma parada em Istambul para treinamento. Hoje, às 8h (horário local), há um treino programado.

Tandara contou que era tarde quando as jogadoras e a comissão técnica souberam do atentado. E, por isso, já estavam em seus quartos. Assim, contou que as jogadoras se falaram por mensagem via WhatsApp, em grupo fechado, só delas. Até a noite de ontem, as atletas da seleção não haviam recebido nenhuma orientação especial da comissão técnica.

— Falamos entre nós mesmas. E estamos apreensivas pelo que pode vir a acontecer. Temos uma nova viagem.

Sheilla usou as redes sociais para comentar o ocorrido: “Estamos todos da seleção bem, mas tristes com essa notícia… Pousamos lá ontem”.

Fernanda Garay, que já atuou no Fenerbahçe antes de se mudar para a Rússia, escreveu no Twitter: “Fiquem tranquilos, graças a Deus estamos bem. Rezo para que esses ataquem tenham fim”.

Alcione, esposa do técnico Zé Roberto, contou que o marido fez contato pelo WhatsApp avisando que todos estavam seguros. O técnico já treinou o Fenerbahçe por duas temporadas e foi campeão em 2011.

— Quando soube fiquei apavorada. Mas logo o Zé Roberto se comunicou com a gente. Que susto! Moramos em Istambul por duas temporadas e nunca tive medo de andar na rua. Que pena tudo isso.

Ontem, o Itamaraty informou que não há registro de cidadãos brasileiros entre as vítimas do atentado. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores condenou o ataque e destacou que o Brasil “reitera seu firme repúdio a qualquer forma de terrorismo”.

ver mais notícias