Ataques aéreos matam dezenas de pessoas na Síria

BEIRUTE – Dezenas de pessoas foram mortas neste sábado em uma série de ataques aéreos contra as cidades de Raqqa e Palmira, na Síria, controladas por rebeldes do Estado Islâmico (EI), informaram grupos de monitoramento e ativistas. O bombardeios acontecem três semanas após um acordo de cessação das hostilidades enquanto negociações de paz são feitas em Genebra, na Suíça. O acerto diminuiu a violência mas não interrompeu a luta no país, já que não inclui militantes ligados à rede terrorista Al Qaeda e o EI, cuja “capital” de fato na Síria fica em Raqqa.

Ainda não está claro se os aviões usados no ataque a Raqqa são sírios ou da Rússia, que nas últimas semanas começou a retirar suas tropas do país, onde sua campanha de bombardeios em apoio ao presidente Bashar al-Assad ajudou a virar o conflito a seu favor. Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, pelos menos 39 pessoas morreram nos ataques e dezenas de outras ficaram feridas. Entre as vítimas estariam sete mulheres e cinco crianças.

Em outra série de bombardeios, aviões russos atacaram a cidade síria de Palmira, cerca de 200 quilômetros a Sudoeste de Raqqa e também controlada pelo Estado Islâmico. Forças do governo lutam para retomar Palmira, ocupada pelo EI desde maio do ano passado.

Enquanto isso, a coalizão internacional liderada pelos EUA anunciaram que um de seus soldados morreu em combate contra militantes do Estado Islâmico no Iraque também neste sábado. Em um breve comunicado, o comando da coalizão afirmou “poder confirmar a morte de um de seus soldados hoje (sábado) no Norte de Iraque como consequência de uma ação inimiga”, mas não informou a nacionalidade do militar morto.

Em outra parte do país, forças iraquianas, com apoio aéreo de aviões americanos, lançaram uma grande ofensiva para recuperar a cidade de Hit, na província de Al Anbar, no Oeste do país e controlada pelo EI.

ver mais notícias