As posições que separam Trump de Cruz

WASHINGTON – Com o fortalecimento da campanha de Trump e saída de Marco Rubio, o magnata tenta se consolidar frente ao senador ultraconservador Ted Cruz. Mas quais pontos separam os dois?

IMIGRAÇÃO: O tema é o carro-chefe da campanha de Donald Trump, que promete construir um muro na fronteira com o México e deportar cinco milhões de imigrantes ilegais. Já Cruz defende reforços intensivos nas fronteiras e quer reverter a ação executiva de Barack Obama, que protegeu da deportação milhões de imigrantes ilegais no país. “Acho que um caminho para a cidadania é extremamente injusto com os milhões de imigrantes que seguiram as regras”, diz o senador, filho de um exilado cubano que obteve cidadania em 2005.

SAÚDE: Para o senador texano, o Obamacare é “a lei mais detestada do país”, e o Congresso deve “rejeitá-la por completo”. Já Trump classifica o programa como “um completo desastre”, mas, no passado, já se definiu como “um liberal na saúde”, defendendo um sistema semelhante ao do Canadá. “São tempos diferentes, e eu evoluí em relação a esse tema”, diz o magnata.

DIREITOS LGBT: Cruz afirma que cristãos são alvo do “fascismo liberal”, e diz que os EUA precisam de “líderes que defendam os valores judaico-cristãos que formaram o país”. Enquanto muitos republicanos diminuem ou abandonam sua oposição ao casamento gay, o senador faz questão de enfatizá-la, afirmando tratar-se de “uma prioridade”. Trump também afirmou ser contrário ao casamento gay, mas diminuiu a importância do tema após a decisão da Suprema Corte que liberou os casamentos homossexuais em todo o país.

AÇÕES MILITARES: Trump afirma ter sido o único entre os republicanos a se posicionar contra a guerra no Iraque, e diz não ver problemas nas ações da Rússia na Síria, desde que os EUA possam tomar o controle do petróleo local, mas acredita que os EUA não deveriam se envolver no conflito ucraniano. “Temos que ser espertos. Não podemos ser a polícia do mundo”, afirma. Já Cruz acredita que os EUA devem armar as milícias curdas contra o Estado Islâmico, assim como forças ucranianas contra a Rússia.

NEGÓCIOS: Trump diz que trará de volta empregos que foram levados a outros países, e que reduzirá os impostos corporativos a 0%. O magnata se mostrou contrário ao aumento do salário-mínimo, afirmando que a medida “mataria a competitividade do país”. Já Cruz promete reduzir impostos corporativos a 15%, e defende o fim de subsídios federais para companhias de energia, e do IRS, a agência do Departamento do Tesouro responsável pela coleta de impostos.

ver mais notícias