CM7

 
Manaus, 23 de outubro
Mercado financeiro
Dólar
Euro
 
 
Home / Últimas Notícias / Mundo / Argentina propõe solução de ‘comum acordo’ com Venezuela

Argentina propõe solução de ‘comum acordo’ com Venezuela

Da redação | 01/06/2016 11:50

WASHINGTON — A Argentina, presidente temporária do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA), tenta, nesta quarta-feira, aprovar um plano alternativo para enfrentar a situação política na Venezuela. A ideia da Casa Rosada é propor algo em comum acordo com o governo de Caracas, o que contrasta com o projeto apresentado ontem pelo secretário-geral da entidade, Luis Almagro, que quer evocar a Carta Democrática contra o país e pediu uma reunião entre os dias 10 e 20 de junho.

De acordo com a proposta argentina — que tem o apoio dos Estados Unidos, Barbados, Honduras, México e Peru — a OEA faria um “oferecimento fraterno” à Venezuela “de comum acordo” para uma ação que busque soluções em um “diálogo aberto e inclusivo” dos diversos atores políticos e sociais do país. A reunião do Conselho Permanente, prevista para começar às 10h de Washington (11h no Rio) estava atrasada e não tinha previsão de horário para ser concluída.

A proposta ainda respalda a atuação de três ex-presidentes — José Luis Rodríguez Zapatero (Espanha), Leonel Fernández (República Dominicana) e Martín Torrijos (Panamá) — que tentam estabelecer um diálogo entre o governo e a oposição venezuelanos. A medida prevê também uma coordenação com outras frentes de negociação que estão surgindo.

Almagro, por sua vez, evocou a Carta Democrática, indicando que vê uma “alteração constitucional” que ameaça a democracia na Venezuela. Foi a primeira vez que um secretário-geral da OEA evocou o documento. Segundo a sua proposta, os países precisam aprovar novas gestões diplomáticas e, caso isso não dê resultados, uma assembleia da OEA poderia decidir pela suspensão do país do organismo continental.

Anuncie em Nossas Pesquisas
Anuncie em Nossas Pesquisas

FAÇA SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA NOTÍCIA