Após contratempos, Trump e Hillary tentam tirar concorrentes da cola

WASHINGTON – Apesar de contratempos durante o fim de semana, Donald Trump e Hillary Clinton encaram as prévias de Michigan e Mississippi (além de primárias republicanas em Idaho e Havaí) em busca da ampliação de suas vantagens na nomeação. Para os opositores de Barack Obama, são escolhidos 150 delegados, ou 12% do necessário para se obter a indicação do partido. Já os democratas decidem 166 delegados — 6,7% do total.

Pesquisas de opinião mostram ambos com uma dianteira confortável no Michigan, o mais importante deles (que define 59 delegados para os republicanos e 147 para os democratas). Os últimos debates dos partidos foram realizados ali: o republicano, na quinta-feira, em Detroit; e o democrata, no domingo, em Flint. No Mississippi (40 e 41 delegados, respectivamente), ambos também aparecem à frente nas pesquisas.

Trump sofreu ataques duros do establishment do Partido Republicano durante a semana passada. No sábado, empatou com o senador Ted Cruz em Louisiana, ficou pouco à frente no Kentucky e perdeu para o maior rival em Kansas e Maine.

Do lado democrata, Hillary se preocupa após três derrotas nas quatro prévias do fim de semana passado. O senador Bernie Sanders levou Kansas, Nebraska e Maine. A ex-secretária de Estado, no entanto, tem vantagem enorme no número de superdelegados (que decidem por conta própria quem representarão nas convenções de julho).

Apesar da importância da noite para os republicanos, os candidatos de ambos os partidos estão de olho na “nova Superterça”, no dia 15: Flórida, Illinois, Missouri, Carolina do Norte e Ohio entram na disputa e definem 367 delegados republicanos (29,6%) e 792 democratas (33,2%). Para os republicanos, conseguir cada um dos estados é fundamental, já que o sistema dos estados do dia é “vencedor leva tudo” — todos os delegados de cada estado vão para quem ganhar nele.

O favorito do establishment republicano, o senador Marco Rubio, da Flórida, precisará de uma vitória expressiva em seu estado natal na semana que vem para manter sua campanha viva. Trump, no entanto, lidera as pesquisas. Para Hillary, a esperança de levar os estados com grande número de delegados no dia 15 praticamente a consolidaria como potencial candidata.

ver mais notícias